Outubro Rosa e a Fotografia Feminina



Neste mês acontece a campanha de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento tem como principal objetivo a conscientização das mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, contribuindo para a redução da mortalidade.

O câncer de mama é o segundo tipo mais comum entre as mulheres. De acordo com o INCA, estima-se mais de 66 mil casos para o triênio 2020-2022 no Brasil.

A mais recente estimativa mundial, ano 2018, aponta que ocorreram no mundo 2,1 milhões de casos, o segundo tipo mais incidente de câncer.

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, aumentando assim as chances de tratamento e cura. Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas.


E como ficam todas essas mulheres após receber o diagnóstico?

Sabemos que a notícia de uma doença nunca é fácil, mas quando falamos de uma doença que afeta um órgão feminino parece que as coisas se complicam ainda mais, já que para o tratamento pode ser necessário a retirada da mama. Também é comum a queda de cabelo, a pele ressecada e o aparecimento de manchas.

Além de lidar com o diagnóstico e com um tratamento muitas vezes agressivo, é preciso lidar com as transformações profundas na imagem. Afinal, muda-se a forma como a mulher se relaciona com o próprio corpo, a forma como se enxerga e a forma como os outros encaram com a imagem dela. Ou seja, uma série de mudanças que poucas pessoas estão preparadas para enfrentar.

Se reconhecer no espelho passa a ser difícil e gostar da própria imagem, um desafio. Diante de tudo isso, a autoestima vai lá para baixo. Mas as coisas não precisam seguir dessa forma sempre. É possível driblar a baixa autoestima e trabalhar a autoconfiança mesmo quando se passa por uma fase tão difícil quanto essa.

Um dos primeiros passos para recuperar a autoestima é buscar o autoconhecimento e se reconectar com a própria essência. Fazer isso não é simples, e, no caso de uma mulher que está passando por uma doença como o câncer de mama, pode ser algo ainda mais trabalhoso.

Por isso, é interessante buscar ajuda e recorrer a experiências que podem facilitar o processo, como é o caso do ensaio boudoir. Diferente de outras experiências, a idéia aqui é fortalecer a autoestima e fazer com que a mulher se sinta bem com a própria imagem.

É uma experiência desafiadora, principalmente quando falamos de mulheres diagnosticadas com câncer de mama. Porém, todo o processo e o resultado podem ser surpreendentes. É a chance de se ver sob outra ótica, com carinho e cuidado, já que as fotos serão o resultado do olhar do outro sob você.

Muitas vezes, ainda mais quando se passa por uma fase difícil, ver beleza na própria imagem é algo quase impossível. Mas, nesse sentido, o ensaio boudoir vem para ressignificar esse momento e mostrar que a beleza mora nos detalhes.

Daqui alguns anos, ver essas imagens será inspirador.


Aproveite o Outubro Rosa para se tocar, se olhar e se reconectar com você mesma!




 

 

© 2020 Cris Avanci Fotografia

É PROIBIDO A REPRODUÇÃO PARCIAL OU TOTAL DO SITE. DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS

TODO O CONTEÚDO DESTE WEBSITE ESTÁ PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL 9.610/98
 

  • whatsApp
  • e-mail
  • facebook
  • instagram